O Prémio Literário A. Lopes de Oliveira/Câmara Municipal de Fafe – Estudos Histórico-Sociais de Âmbito Local ou Regional é um prémio instituído a nível nacional com o patrocínio da Câmara Municipal de Fafe.

Este galardão, atribuído de dois em dois anos, visa estimular a publicação de estudos histórico-sociais das realidades de determinada localidade ou região portuguesa, na perspetiva de valorizar um setor de investigação de crescente importância, no quadro do aprofundamento da matriz regional e local do nosso país.

Nos termos do regulamento, o valor do prémio é dividido em duas frações iguais, sendo uma para distinguir as obras dirigidas ao território e aos temas fafenses, premiando o investimento sobre o local, enquanto a outra se dirige a estudos sobre as outras localidades e/ou regiões.

O Prémio é atribuído à(s) melhor(es) obra(s) concorrente(s) dentro do género ensaístico e publicadas em livro, no período considerado de dois anos, cujos autores poderão ser de nacionalidade portuguesa ou estrangeira.

O Júri, presidido por um representante da Câmara Municipal de Fafe, é constituído por três personalidades de reconhecido mérito e competência, indicadas pela Câmara Municipal de Fafe.

No que respeita às obras publicadas nos anos de 2013 e 2014, o Júri do Prémio Literário deliberou declarar vencedoras as obras João de Araújo Correia – Cronista das Gentes do Douro, de Manuel Joaquim Martins de Freitas e Fafe – História, Memória e Património, de Daniel Bastos e José Pedro Fernandes, que assim repartem o valor do prémio, nos termos do regulamento.

O Júri integrou os Professores José Viriato Capela, docente da Universidade do Minho, José Carlos Meneses e João Carlos Pascoinho, ambos docentes do Instituto de Estudos Superiores de Fafe. Presidiu, em representação da Câmara, Artur Coimbra, Chefe da Divisão de Cultura, Desporto e Juventude.